Dicas de limpeza para afastar o coronavírus da sua casa

O país está em estado de alerta com a confirmação do primeiro caso de Covid-19. No entanto, não há motivos de pânico. Nesse momento, o ideal é ficar atento às orientações dos especialistas para se prevenir e afastar o vírus.

O que você precisa saber é que algumas medidas caseiras podem auxiliar nessa prevenção. A primeira, e importante, dica é que esse novo coronavírus pode ser morto com produtos de limpeza desinfetantes, como álcool 70%, água sanitária e até mesmo a simples mistura de água e sabão.

Por esse motivo, é de grande importância lavar com frequências as mãos e o pulso, com água e sabão, ou mesmo com álcool em gel. Você pode optar pela mistura de álcool e água sanitária para limpar todas as superfícies .

Além desse hábito, fizemos um compilado de dicas de limpeza para a sua casa para você se prevenir de gripes e resfriados. Claro, essas dicas também são válidas para preparar a sua casa contra a chegada do coronavírus.

1. Lave cobertores, travesseiros e toalhas de uso comum

É fundamental lavar os cobertores e travesseiros de uso comum pelo menos uma vez por mês e limpar o sofá, utilizando um aspirador ou um paninho com vinagre.

Além disso, as toalhas, principalmente as de mão, compartilhadas no banheiro, também devem ser lavadas, pelo menos uma vez por semana. Os germes adoram o ambiente úmido e quente do banheiro e podem permanecer vivos na toalha por várias horas.

2. Desinfete o seu telefone celular

Por mais inofensivo que pareça, o telefone celular é um dos itens mais sujos, mais até que uma sola de sapato, se considerarmos a quantidade de germes e bactérias que podem estar presente nesse tipo aparelho.

O calor provocado pela bateria do celular e a umidade da boca do usuário do aparelho resultam em um ambiente perfeito para a multiplicação dos germes, por isso é muito importante que a limpeza do telefone seja realizada freqüentemente. Para isso, utilize um pano umedecido com álcool isopropílico, ideal para a limpeza de aparelhos eletrônicos por conter menos de 1% de água.

3. Limpe o teclado do computador

Outro aparelho eletrônico que pode contribuir para a disseminação dos germes é o teclado do computador, principalmente se ele for partilhado entre os familiares ou no escritório. Para retirar a sujeira que se acumula entre as teclas, utilize um secador de cabelo e para desinfetá-las, assim como para o celular, faça uso de um pano umedecido com álcool isopropílico e lembre-se de incluir essa tarefa na sua rotina diária.

4. Lave os brinquedos das crianças

Para ajudar a prevenir quaisquer gripes e resfriados nas crianças, é essencial que os brinquedos sejam lavados sempre. Até os brinquedos de borracha utilizados durante o banho devem ser limpos constantemente. Para fazer isso de maneira eficaz, basta esfregá-los com bucha e sabão ou então limpá-los com um pano umedecido com vinagre.

5. Limpe a casa com desinfetantes

Sugerimos também que os pontos da casa onde todas as pessoas colocam a mão, como as maçanetas das portas, os interruptores de luz e a porta da geladeira, sejam limpos todos os dias. Basta utilizarmos um pano umedecido com desinfetante. É importante lembrar que esse pano também deve ser lavado sempre para evitar o acúmulo de sujeira.

 

Fonte do texto: Dicas de Mulher

 

www.cdx.com.br(5)

4 dicas para comprar produtos de limpeza que não podem faltar em um escritório

Comprar produtos de limpeza para um escritório pode não ser tarefa fácil. Quantidades, custos e falta de conhecimento do item que está comprando são algumas das dificuldades. Por isso, separamos quatro dicas para você não errar neste momento.

1- Antes de comprar produtos de limpeza é preciso saber controlar o estoque

Além de selecionar os produtos apropriados para a empresa, saber controlar o estoque é essencial para comprar bem. Uma dica é elaborar uma planilha listando todos os produtos, respectivas quantidades e custos por mês. Desta maneira é possível saber quais itens estão acabando ou não no momento da compra.

Uma vez que o planejamento e controle do estoque estão traçados, a aquisição pode ser realizada em uma compra única mensal. Assim é possível otimizar o tempo e economizar, pois as chances de desconto na compra de vários itens aumentam.

2- Entenda quais produtos não podem faltar em um escritório

Não adianta controlar o estoque e não saber comprar produtos de limpeza que sejam, de fato, essenciais. Alguns aspectos devem ser considerados ao encher o carrinho, tais como o tipo de piso e material dos móveis. É imprescindível analisar quais são as demandas da limpeza – por exemplo, ambientes com gordura requerem produtos diferenciados.

De modo geral, os seguintes itens não podem faltar em um escritório na hora de pensar em comprar produtos de limpeza:

Comprar produtos de limpeza: limpador multiuso:

Coringa, ele pode ser usado em qualquer superfície lavável, embora não seja recomendado para madeiras e superfícies porosas. Para usar, basta aplicar um pouco do produto em um pano.

Álcool:

Quando aplicado por 10 minutos, o álcool acaba com vírus e bactérias. No cotidiano, é indicado para a limpeza de vidros, espelhos e metais. Ele pode ser aplicado diretamente nos objetos e retirado com um pano seco.

Detergente:

Ele auxilia não apenas na hora de lavar a louça, mas também na remoção de gordura. Misturado com água, pode ser usado para limpar porcelanato.

Água sanitária:

Pode ser usada em limpezas pesadas e na esterilização de ambientes, além de ter ação alvejante em pisos, rejuntes e azulejos. Diluída em água, é aliada na limpeza de louças sanitárias.

Lustra-móveis:

Disponível em várias versões, o produto é ideal para limpar superfícies de madeira e, até mesmo, fórmicas e esmaltadas. Pode ser aplicado diretamente nos móveis, dando brilho e formando uma camada protetora.

3- Saiba calcular quantidades e economizar ao comprar produtos de limpeza

Para determinar quantidades ao comprar produtos de limpeza, primeiro é necessário saber a frequência de uso de cada item. Seguir as instruções de uso do fabricante ajuda neste cálculo e contribui na economia de produto.

Por exemplo, dois litros de água sanitária podem durar até 10 dias caso a diluição em água seja feita conforme o fabricante. A indicação do rótulo é suficiente para higienização, portanto não é preciso exagerar na dosagem.

4- Cuidados com a procedência e o armazenamento

Com a lista de compras em mãos, é hora de escolher marcas. Atenção à procedência dos produtos, que devem ter licença da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para garantir a segurança do consumidor.

O rótulo deve conter instruções de uso, orientações em caso de acidentes e contato do SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor). Averiguar o estado da embalagem é importante para garantir que o produto de limpeza esteja devidamente fechado e sem vazamentos.

Agora que você acompanhou algumas dicas, é possível comprar produtos de limpeza com mais eficiência, evitando erros e economizando.

22222222

Incêndios na Austrália já destruíram, desde setembro, mais de 5,5 milhões de hectares e provocaram a morte de 24 pessoas

A Austrália vai destinar 2 bilhões de dólares australianos (1,2 bilhão de euros) para a recuperação de áreas afetadas pelos incêndios, anunciou o primeiro-ministro Scott Morrison.

Segundo ele, o dinheiro será distribuído nos próximos dois anos e gerido por uma nova agência dedicada à a reconstrução de casas e infraestruturas danificadas.

Os incêndios na Austrália já destruíram, desde setembro, mais de 5,5 milhões de hectares, o equivalente a um país como a Dinamarca, e provocaram a morte de 24 pessoas.

O dia hoje amanheceu mais calmo, graças a uma leve chuva no território, mas o fim de semana “foi catastrófico”, de acordo com as autoridades, que contabilizaram mais um morto no sábado (4) e a retirada de milhares de pessoas, além de “danos consideráveis”.

“Será feito o que for preciso, custe o que custar”, garantiu o primeiro-ministro em entrevista coletiva, após se reunir com a Comissão de Segurança Nacional para analisar medidas de combate aos incêndios.

Scott Morrison acrescentou que a ajuda provém do Orçamento do Estado e é independente de outros auxílios já aprovados. Destacou que se trata de um “acordo inicial” que poderá subir, se necessário, caso os danos aumentem.

“Vamos nos concentrar nos custos humanos e nos de reconstrução da vida das pessoas para garantir o melhor possível, o mais rápido possível”, acrescentou.

A medida é adotada depois da decisão de convocar 3 mil militares da reserva para reforçar o combate aos incêndios e após a disponibilização de cerca de 12,5 milhões de euros para alugar quatro hidroaviões e outros meios aéreos que o primeiro-ministro anunciou no sábado, ao final de um dos piores dias da onda de incêndios.

O anúncio de Morrison, no entanto, ocorre após semanas de críticas pela falta de resposta aos incêndios, que se intensificaram no mês passado quando o primeiro-ministro decidiu ir de férias para o Havaí, no meio da crise.

Prejuízos

No momento em que a chuva dá ligeira trégua aos bombeiros, as autoridades aproveitaram para divulgar os primeiras dados sobre os prejuízos, depois de um fim de semana com temperaturas de 50º C.

O estado de Nova Gales do Sul, o mais populoso da Austrália, continua a ser o mais afetado pelos incêndios. Os bombeiros confirmam a destruição de cerca de 60 casas nos últimos dois dias e alertam que o número poderá subir para várias centenas quando todo o território for inspecionado. Além disso, estão confirmados 18 mortos e duas pessoas desaparecidas.

Em Victoria, o governo regional contabilizou 200 casas destruídas pelas chamas no fim de semana, a maioria no município de East Gippsland, que abrange a localidade de Mallacota, onde a fumaça impediu a retirada, por via aérea, de 300 pessoas cercadas pelas chamas há vários dias.

A fumaça também afeta outras cidades, como Melbourne e Camberra, onde a falta de visibilidade e a baixa qualidade do ar levaram ao fechamento de creches.

Os incêndios, considerados dos piores do século na Austrália, fizeram com que países como os Estados Unidos, o Canadá, a Nova Zelândia, Singapura e França enviassem bombeiros, helicópteros e militares para ajudar no combate ao fogo.

O primeiro-ministro australiano agradeceu, em mensagem divulgada no Twitter, “o apoio e a assistência” dados pelos “amigos internacionais” em um “momento de necessidade”. Lembrou também o apoio de países do Pacífico, como Vanuatu ou Papua Nova Guiné, que ofereceram dinheiro e pessoas para auxiliar nos trabalhos.

A solidariedade com a Austrália também marcou a cerimônia dos Globos de Ouro, à qual o ator Russel Crowe faltou por “estar protegendo a família dos incêndios devastadores”.

A tragédia também foi citada pelos atores Joaquin Phoenix e Cate Blanchett, atribuindo-a às alterações climáticas. Eles defenderam a necessidade de lutar contra as mudanças.

Nesse domingo, a atriz Celeste Barber anunciou no Facebook ter lançado uma campanha para ajudar os bombeiros australianos, que arrecadou, em 48 horas, 25 milhões de dólares australianos (15,5 milhões de euros) em doações de todo o mundo.

A número 1 do tênis, a australiana Ashleigh Barty, detentora do título de Roland Garros, anunciou que doará os seus ganhos no torneio de Brisbane à Cruz Vermelha, para ajudar as vítimas dos incêndios. Esse valor poderá chegar aos 250 mil dólares (cerca de 225 mil euros).

A cantora norte-americana Pink prometeu, no sábado, doar 500 mil dólares, um valor equivalente ao prometido pela atriz australiana Nicole Kidman.

Fonte: https://exame.abril.com.br/mundo/australia-tera-12-bilhoes-de-euros-para-recuperar-area-afetada-pelo-fogo/

ciudad-forestal-en-china-696x364

China cria a primeira cidade florestal de todo o planeta

Publicidade

Esta cidade futurista e deslumbrante está localizada na China. Todos os edifícios, casas e hotéis, hospitais e lojas estão cobertos com mais de 40.000 árvores e mais de 1 milhão de pequenos arbustos e várias plantas.

Com esse incrível projeto, eles querem ter 30 mil habitantes nos próximos anos. É uma proposta que teve bastante impacto social e atraiu a atenção dos amantes da natureza.

O principal objetivo desta cidade é absorver uma quantidade de 10 mil toneladas de CO2 e 55 toneladas por ano e assim reduzir a poluição ambiental.

Além disso, eles poderão distribuir quase 1.000 toneladas de oxigênio, o que é uma grande conquista para o continente asiático.

A localização exata desta cidade seria no norte de Liuzhou, com uma incrível paisagem natural ao seu redor.

Deste lugar você pode apreciar as montanhas gigantescas de Liuzhou, devido aos 175 hectares. Veículos a gasolina ou diesel não circularão nesta cidade. Ele se conectará com outras cidades através da ferrovia e terá uma via de acesso disponível apenas para carros elétricos, a fim de preservar o ar livre da poluição.

Outro fato muito importante é que eles também querem que toda a cidade seja abastecida apenas com energia obtida de painéis solares.

Sem dúvida, estaremos vendo uma das cidades mais limpas, mais verdes e mais espetaculares do mundo.

 

Fonte: https://fiquesabendo.org/china-cria-a-primeira-cidade-florestal-de-todo-o-planeta/

222

Volkswagen revela o novo ID.3, “o carro elétrico do povo

No Salão Automóvel da Frankfurt, a Volkswagen revelou o novo ID.3, o seu primeiro carro elétrico. Com um preço “abaixo dos 30 mil euros”, é tido como acessível para as massas.

A revolução dos automóveis elétricos está a alastrar-se exponencialmente e a Volkswagen não podia ficar fora dessa corrida. Como tal, a fabricante alemã aproveitou o Salão Automóvel de Frankfurt para anunciar o novo ID.3, o seu primeiro veículo elétrico.

O ID.3 estará disponível em três variantes de autonomia: entre 330 e 550 quilómetros. A versão com a capacidade para 330 quilómetros custará “abaixo dos 30 mil euros” e conta com uma bateria de 45kWh. A marca germânica não revelou os preços para as outras duas variantes.

De acordo com o The Verge, a Volkswagen diz que versão básica do ID.3 apenas carrega até 50kW, sendo necessário pagar extra para que carregue mais rapidamente (até 100kW). A bateria do automóvel terá uma garantia de oito anos ou de 160 mil quilómetros.

O Grupo Volkswagen está a engendrar um grande investimento no mercado dos veículos elétricos, tendo já feito um investimento multimilionário no setor. Espera-se que dentro dos próximos anos, as várias marcas do grupo expandam a sua gama de carros movidos a eletricidade. No caso da Volkswagen, estão planeados muitos mais veículos dentro da linha “ID”: I.D. Crozz, I.D. Vizzion, I.D. Roomzz, I.D. Buzz e I.D. Buggy.

Com um preço inferior a grande parte dos elétricos no mercado e com semelhanças ao VW Golf, o novo ID.3 terá mais espaço no interior. Além disso, destaca-se um painel touchscreen de dez polegadas e outros botões “touch” espalhados no seu interior. Aliás, as únicas coisas que são controlados com um botão físico são as janelas e os “quatro piscas”.

Uma das principais novidades é também a opção de Realidade Aumentada, que dispõe informações no para-brisas do carro. À semelhança da Siri, há ainda comandos de voz que podem ser usados para realizar certas funções.

Apesar de o novo ID.3 ser conduzido manualmente, os futuros veículos da gama “ID” serão lançados com vista a serem completamente autónomos.

zera1

Empresa cria composteira automática que transforma resíduos em adubo em 24 horas

A prática de atitudes sustentáveis tem se tornado cada vez mais popular não só entre pessoas como também entre os pequenos negócios. Em pesquisa realizada pelo Sebrae em 2018, notou-se que 93% dos empreendimentos estão comprometidos com a sustentabilidade. No entanto, apenas 29% possuem hábitos sustentáveis planejados dentro de sua companhia.

Ou seja, ainda é difícil manter práticas constantes em favor do planeta. O motivo para isso é, muitas vezes, devido à demora e ao dinheiro necessários para realizar a empreitada.

Algumas empresas, no entanto, vêm criando novas formas de manter-se amigo do meio ambiente sem que seja preciso um grande investimento de tempo.

É o caso da WLabs, braço tecnológico da multinacional Whirpool, que acaba de criar a composteira automática Zera Food Recycler. A máquina promete reduzir o lixo orgânico em dois terços de seu montante original por meio de um processo totalmente automatizado.

Tudo isso em um processo que dura no máximo 24 horas. Após utilizar oxigênio, umidade, calor e agitação mecânica para acelerar a decomposição de uma semana de resíduos alimentares, o aparelho produz um fertilizante seco que pode ser utilizado em diversos tipos de jardins.

Zera Food Recycler (Foto: Divulgação)

É possível inserir resíduos de carne e laticínios e a empresa ainda fornece um aditivo para auxiliar na compostagem rápida dos restos alimentares feito de bicarbonato de sódio e fibra de coco.

Para funcionar, é preciso ligar o aparelho na tomada. Além disso, é possível controlá-lo remotamente pelo celular e saber mais informações sobre o Zera, como o estado do filtro e o estágio de compostagem dos resíduos.

Para comprar o aparelho, é preciso entrar no site da empresa e desembolsar US$ 1199 (R$ 4504). Lá, também é possível comprar o refil para filtro e mais pacotes de aditivos do produto.

Fonte: revistapegn.globo.com

Por que a maioria das pessoas não se importa com problemas ambientais?

As pessoas se importam com questões de sustentabilidade? Como educadora e engenheira ambiental, essa é uma pergunta recorrente em minha cabeça. E tenho certeza que se você está lendo este artigo, já se perguntou isso também.

Fazendo uma rápida busca por pesquisas realizadas sobre o tema, vemos indícios que sim, as pessoas se importam com questões relacionadas ao meio ambiente no Brasil.  Uma pesquisa realizada em 2012 pelo Ministério do Meio Ambiente aponta, por exemplo, que 82% das pessoas discordam da seguinte frase: “O conforto que o progresso traz para as pessoas é mais importante do que preservar a natureza” e esse índice veio crescendo desde 1997, quando eram apenas 67%. Em 2018, o “meio ambiente e riquezas naturais” apareceu como maior orgulho nacional para o brasileiro em pesquisa realizada pelo IBOPE e WWF.

Porém, existe uma diferença clara entre o discurso e a prática. Falar que se importa é uma coisa, mas de fato ter uma mudança de comportamento é outra história. Somos um dos países com maiores índices de desmatamento, reciclamos menos de 5% dos nossos resíduos e elegemos governos com claro descaso por questões ambientais.

Se as pessoas dizem se importar, por que não agem e cobram devidamente?

O ser humano prioriza problemas imediatos.

As mudanças climáticas, por exemplo, parecem algo muito distante do presente e acabam não representando uma ameaça factível para muitos.

Desconexão com a natureza.

Cuidamos apenas daquilo que conhecemos e temos vínculo. Quanto mais distantes do meio natural, menos as pessoas se importam com sua preservação e conservação.

A população não tem conhecimento suficiente.

Conhecimento é diferente de informação. Enquanto a informação está cada vez mais acessível, ainda não está claro para muitos os reais desafios, causas, consequências e possibilidades de soluções.

Muitos não sofrem ou percebem diretamente as consequências.

O problema do plástico no oceano, por exemplo, despertou incômodo nas pessoas quando começaram a literalmente ver o lixo na praia e nas ruas de sua cidade.

É mais trabalhoso sair da zona de conforto.

Como seres vivos otimizamos ao máximo nosso gasto de energia e por isso priorizamos aquilo que nos é mais fácil e cômodo.

Sistema baseado em crenças e valores insustentáveis.

Ganância, individualismo, egoísmo, medo, impotência e desconexão ainda são valores presentes em nossa sociedade e base para nosso modo de vida, gerando crenças, comportamentos e culturas insustentáveis.

desafio é complexo, mas um dos principais papéis da educação para sustentabilidade é, justamente, compreender as causas da distância entre o discurso e a prática e traçar estratégias para minimizá-las. Também é papel da educação para sustentabilidade aproximar as pessoas da natureza; facilitar práticas e soluções para que as pessoas se desafiem a sair de sua zona de conforto; fortalecer valores humanos como cooperação, respeito e solidariedade; levar a informação de maneira mais clara e convidativa; e gerar mais empatia e conexão entre aqueles que causam e os que hoje começam a sofrer as consequências.

Fonte: http://autossustentavel.com

download

ONG constrói barreira para filtrar plástico de região do Oceano Pacífico

Sediada na Holanda, a organização não-governamental The Ocean Cleanup busca remover a poluição por plástico presente em um região conhecida como Grande Ilha de Lixo do Oceano Pacífico. Para isso, a instituição criou uma enorme barreira mecânica para “filtrar” a poluição com a ação da própria correnteza do oceano.

Versões anteriores do sistema apresentavam falhas de funcionamento que deixavam o plástico escapar, mas a organização anunciou que o problema foi resolvido. Até agora, a barreira já reteve pedaços de plástico de todos os tamanhos.

Segundo a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), dos Estados Unidos,  a poluição de plástico que afeta o Oceano Pacífico não é constituída somente de garrafas e copos de plástico boiando na superfície da água. Na verdade, a poluição se estende até o solo oceânico — e a maior parte do lixo é de microplásticos, partículas com dimensões de pouco mais de cinco milímetros.

Um estudo conduzido pela The Ocean Cleanup mostrou que o microplástico não boiava, mas normalmente ia diretamente para o fundo do oceano. Então pedaços de plástico maiores costumavam ficar acumulados na superfície.

Fonte: revistagalileu

chacc81

Sachês de chá podem liberar bilhões de microplásticos, diz pesquisa

Segundo pesquisadores do Canadá, é possível que uma única xícara de chá tenha bilhões de pequenas partículas de plástico

São Paulo – Ervas, especiarias e folhas são alguns dos vários ingredientes que as pessoas costumam usar no preparo do chá – plástico, no entanto, não está na lista. Uma pesquisa publicada na revista Environmental Science & Technology relatou que os saquinhos que envolvem os sachês de chá são responsáveis pela liberação de bilhões de microplásticos – de no máximo 5 milímetros – e plásticos de até 100 nanômetros diretamente na bebida.

Pesquisadores da Universidade McGill, no Canadá, utilizaram microscópios eletrônicos para analisar o conteúdo presente na água e nos saquinhos de chá. Os acadêmicos descobriram que cada sachê de chá liberava, sozinho, cerca de 11,6 bilhões de partículas de microplástico e 3,1 bilhões de nanopartículas de plástico na água que os indivíduos utilizavam para tomar chá. Embora a maioria dos sachês tenha a indicação de ser feita de seda, grande parte é constituída de plásticos químicos como nylon e tereftalato de polietileno (PET) – sendo que este último é o mesmo composto químico utilizado nas garrafas de água.

Fonte: exame.abril.com.br

Post Bege de Dica de Beleza para Instagram(4)

Com filtro de luz solar, empreendedora baiana é 1ª a ganhar prêmio da ONU

Anna Luisa Beserra, de 21 anos, ganhou o prêmio Jovens Campeões da Terra por projeto que purifica a água usando apenas a luz solar

Um filtro que purifica a água usando apenas a luz solar rendeu à empreendedora social baiana, Anna Luisa Beserra, 21 anos, o prêmio Jovens Campeões da Terra, da Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente. É a primeira vez que uma brasileira recebe o prêmio.

A ideia do projeto, chamado Aqualuz, surgiu quando Anna Luisa ainda cursava o ensino médio, e viu um cartaz do Prêmio Jovem Cientista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que tem uma categoria voltada para a etapa escolar. Naquele ano, o tema foi Água – Desafios da Sociedade. “Eu quis pensar em algum projeto para participar que pudesse resolver uma das maiores problemáticas do Semiárido”, disse.

Na época, a estudante não ganhou a premiação. Quando ingressou na Universidade Federal da Bahia, no curso de biotecnologia, decidiu tirar a ideia do papel. “Comecei a conhecer o empreendedorismo e a ver o potencial da ideia.”

O Aqualuz foi desenvolvido junto com outros estudantes da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Federal do Ceará. Hoje, distribui água potável para 265 pessoas e alcançará mais 700 ainda neste ano.

Projeto Aqualuz

O Aqualuz funciona da seguinte forma: o filtro purifica a água da chuva coletada por cisternas de áreas rurais por meio de raios solares e um indicador muda de cor quando o consumo é seguro. A água é desinfetada sem o uso de substâncias nocivas como o cloro, por exemplo.

Para aqueles que pretendem seguir o caminho da ciência, Anna Luisa tem conselhos. “Eu diria que o primeiro passo é começar. Muitas pessoas têm ideias, mas não passam para a execução. Um fator que faz as pessoas desistirem é errar, achar que não vai dar certo. Isso é super normal, o Aqualuz está na versão 10, o que significa que erramos em pelo menos nove versões até chegar a um modelo funcional”.

O prêmio será entregue a Anna Luisa e outros seis vencedores durante a 74ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, em 26 de setembro, em Nova York.

 

Jovens Campeões da Terra

O prêmio Jovens Campeões da Terra é inspirado no prêmio Campeões da Terra, que é o principal prêmio da ONU para pessoas cujas ações tiveram um impacto positivo e transformador no meio ambiente. Criado em 2017, o prêmio é voltado para jovens de 18 a 30 anos.

Neste ano, cada jovem vencedor receberá 15 mil dólares em capital para investir em seu projeto e US$ 9 mil para investimento em comunicação e marketing, além de mentorias e convites para participação em eventos globais.

O Brasil nunca havia sido destaque na premiação até este ano. Em 2019, das quase mil inscrições recebidas em todo o mundo, 158 foram do Brasil. Além de Anna Luisa, três jovens brasileiros estão entre os 35 finalistas globais.

Fonte:exame.abril.com.br